15 de agosto de 2014

Destinos rodoviários de Minas Gerais revelam passeios históricos

Por: 

Quero Passagem

Categorias

Quem busca por cidades históricas mergulhadas nos segredos da arquitetura e dos museus com belíssimas coleções não precisa sair do Brasil para encontrar diversidade cultural e suntuosos passeios. Em Minas Gerais, por exemplo, existem diversas cidades que preservam a cultura e arquitetura de outras épocas, especialmente as que relembram o estilo Barroco. A dica para quem quer gastar pouco com o transporte e programar as viagens com antecedência é partir de ônibus com uma das inúmeras companhias rodoviárias disponíveis no site Quero Passagem.

Ouro Preto

Entre os melhores destinos rodoviários relacionados à história, Ouro Preto é uma das que merecem destaque. Considerada patrimônio mundial pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), possui festivais artísticos e carnaval de rua, que contribuem para um cenário rico em cultura e tradição. As minas de ouro que um dia deram nome à cidade hoje são abertas à visitação. A cidade conta ainda com igrejas e museus dedicados à arte barroca. Entre as atrações naturais da cidade, estão às cachoeiras, mirantes e represas, que mostram a exuberância da natureza e também as dificuldades encontradas pelos desbravadores de terras que primeiro chegaram à região, composta por vales e pequenas montanhas. Além de Ouro Preto, outras cidades vizinhas como Mariana, São João Del Rei, Tiradentes, Congonhas, Sabará e Diamantina são boas pedidas para quem realizar agradáveis passeios históricos em família.

Berço da arte Barroca

O escultor brasileiro Aleijadinho nasceu e viveu em Ouro Preto e suas obras são amplamente expostas e admiradas na região. Registrado com o nome de Antônio Francisco de Lisboa, viveu na época em que o Brasil ainda era uma colônia e transpões em suas obras, os estilos barroco e rococó. Produziu inúmeras imagens de anjos e santos, sendo a representação da Via Sacra com 66 personagens em exposição no Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas, um dos maiores exemplares de sua obra. Trabalhou também como entalhador e arquiteto em obras católicas de cidades mineiras. Apesar de haver pouco registro sobre sua vida pessoal, vale a pena admirar suas obras.
(Colaborou Maristela Duarte)

Imagem: Republicasuamae

assine nosso feed

compartilhar