13 de dezembro de 2019

O melhor do Recôncavo baiano: bate e volta por Cachoeira e São Felix

Por: 

Quero Passagem

Categorias

As cidades de São Félix e Cachoeira ficam às margens do Rio Paraguaçu, o maior rio genuinamente baiano. Localizadas há 110 km de Salvador, as cidades são referência quando se pensa no Recôncavo Baiano. Com uma ponte de ferro, cartão postal da região, ligando os dois municípios, é impossível falar de uma cidade sem falar da outra.

A viagem a partir de Salvador de ônibus dura 2h30, passando por belas paisagens rumo ao interior do Estado. Na hora da compra, se escolhe São Félix como destino, mas é possível descer em Cahoeira para começar o passeio. A cidade, tombada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) em 1971, passou a ser “Cidade Monumento Nacional” e, depois de Salvador, é a cidade baiana que reúne o mais importante acervo arquitetônico do estilo barroco.
Em Cachoeira acontecem eventos como a Festa de Nossa Senhora da Boa Morte, todo mês de agosto, e a Flica, Festa Literária Internacional de Cachoeira, que acontece anualmente em outubro. Vale ainda passar pela cidade na época de São João, quando as ruas se enchem e a música não para.
Para comer, procure a clássica maniçoba, conhecida na região. Nós fomos ao PQTRLV, restaurante localizado na Praça Dr. Milton e comandado por Zé Miúdo. O lugar já tinha esse nome estranho quando ele chegou ali, então decidiu mantes. Significa “Pedro Quer Ter Renda Lucro e Vantagens”. Parece que deu certo! A comida é diversa e maravilhosa. Para um tira-gosto, vá à casa de licores Roquete Pinto provar as delícias que são produzidas ali há mais de 100 anos.

A receita Licor de Roque Pinto já está na terceira geração de produtores, sendo produzida pelos netos do falecido Roque Pinto. O local que hoje abriga a produção funcionava como uma fábrica de charutos, na época em que o fumo era a mola propulsora da economia da região. Em São Félix, o charuto continua sendo motivo de movimentação financeira e turística. A cidade abriga o Centro Cultural Dannemann, criado em 1989 pela mais antiga fábrica de charutos do Brasil.

Além de exposições, oficinas, seminários e cursos, a empresa mantém um Cine Clube e realiza o Festival de Filarmônicas e a Bienal do Recôncavo. Ali também é possível acompanhar uma parte do processo de fabricação dos charutos que é feito de forma artesanal somente por mulheres que trabalham há cerca de 20 anos na produção.

Saem ônibus diariamente de Salvador para as duas cidades. Escolha datas próximas aos eventos para ver a beleza das festas no Recôncavo e aproveite!

assine nosso feed

compartilhar