25 de outubro de 2013

Viagens para São Paulo: Segunda pior cidade do mundo para dirigir

Por: 

Quero Passagem

Categorias

Use passagens de ônibus em São Paulo

Além de fortes trânsitos e o prejuízo de viagens para São Paulo causado para o meio ambiente, comprar um carro de passeio na capital paulista, pode ser um dos negócios menos sucedidos que você venha a fazer. Segundo pesquisa realizada pela revista The Economist, da Inglaterra, a cidade de São Paulo é a segunda do mundo mais cara para comprar e utilizar um carro de passeio. Para chegar neste resultado, foram considerados apenas veículos de médio porte, com 1800 cilindradas, das importadas marcas Audi e Mercedes Benz. Os dados apontam que um paulista que comprar um destes modelos na capital paulista, poderá perder mais de US$ 120 mil dólares em apenas três anos de uso. A grande capital do Brasil apenas ficou atrás da Índia. Lá o motorista que estiver a fim de desembolsar uma grana para manter o mesmo carro por um período de três anos vai gastar cerca de US$ 140 mil dólares. O valor inclui os gastos com o preço do automóvel, os impostos pagos, combustível, manutenção e as tarifas.

O que se pode destacar, é que em países subdesenvolvidos, os gastos cobrados pelo governo são maiores. No caso do Brasil, países que ainda sofrem com a falta de investimento no setor de mobilidade urbana, a manutenção dos carros é mais elevada do que os demais, valores que poderiam comprar muitas passagens rodoviárias. Um dos motivos mais óbvios para isso é o maior uso do veículo, gerando mais desgastes do mesmo. Na capital dos Estados Unidos, o exemplo é diferente. Por lá, os carros de passeios são menos acionados. Muitos utilizam os expressos para irem até o trabalho ou a escola. Geralmente os carros só são aproveitados para passeios de finais de semana. Até mesmo a forma de utilização dos carros pode interferir nas despesas gerais. É como acontece com os engarrafamentos. Com a falta de espaços exclusivos para os veículos coletivos desafogarem, mais tempo se perde enquanto os carros ficam estagnados no meio da rua.

A receita para tornar mais lucrativo o comércio dos carros é algo que contrapõe o próprio uso dele. Afinal andar de ônibus economiza muito mais espaço e libera as vias de acesso de uma cidade. Para isso acontecer de fato, os investimentos no setor devem aparecer. Os preços passagem rodoviária deveram baixar e a velocidade subir. Até mesmo a proibição do uso de carros vem sendo feito em São Paulo. Quem vai até o Largo Treze de Maio, na zona Sul de São Paulo, durante os horários de pico não poderão utilizar seus veículos particulares para algumas avenidas e ruas. A SPTrans – São Paulo Transportes, empresa que gerencia os serviços, conta que a nova restrição para os carros de passeio, garantiu mais velocidade dos ônibus que transitam pelo corredor da Avenida Santo Amaro e passam pelo Largo Treze de Maio. A Olho Vivo, sistema de medições dos aparelhos de GPS das unidades das viações confirma que antes a empresa registrava em média, 11 quilômetros por hora, hoje o número passou para 21 quilômetros.

assine nosso feed

compartilhar