1 de setembro de 2015

Viajar de carro é 5 vezes mais caro do que andar de ônibus

Por: 

Quero Passagem

Apesar do preço das passagens rodoviárias “pegar” de leve com o bolso do trabalhador, as viagens de automóvel continuam sendo a preferência da maioria dos brasileiros, na hora de botar o pé na estrada. O maior problema é que boa parte da população que abre mão dos coletivos está comprometendo seu orçamento para poder viajar de carro em linhas de curta e média distância. Segundo levantamento apontado pelo IBEG – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística com base nos dados da POF – Pesquisa de Orçamento Familiar, os gastos com o automóvel podem ser cinco vezes maiores do que os passageiros de ônibus pagam em cada embarque. Devido ao trânsito das grandes capitais, a maior procura pelo veículo de passeio vem se originando em grandes centros do Brasil.

Andar de Carro é mais caro do que de ônibus.

Andar de Carro é mais caro do que de ônibus.

A média de gasto com o transporte no final do mês comprova o quanto é possível economizar com as passagens de ônibus. Dados divulgados pelo Ipea –  Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada aponta que o trabalhador brasileiro gasta mais de 15% de seu ordenado no final do mês, só com o transporte. A diferente corresponde a um valor de pouco mais de R$ 500 para uma família com renda média mensal de R$ 3.500. O Ipea entende que o percentual gasto com o transporte também inclui na receita fixa das famílias, os pagamentos de parcelas de veículos, combustível, empréstimos, concertos e compras esporádicas.

O interessante é que se o carro ou a moto fosse substituído pelos ônibus, a despesa mensal não passaria de 3%. Segundo a pesquisa, em média um brasileiro gasta por mês cerca de pouco menos de R$ 100 para andar de ônibus. É importante lembrar que ao adquirir um carro, o consumidor assume automaticamente uma série de responsabilidades que nem sempre tem condições de cumprir, como manutenções e reparos em oficinas, documentação e seguro, e até valores pagos em estacionamentos e pedágios que nem sempre são cobrados durante as viagens rodoviárias. Apesar de andar de ônibus ser muito mais econômico, o estudo revela que a renda mensal do Brasil permite que todos tenham seu próprio veículo de passeio, mesmo que não tenham condição de mantê-los.

assine nosso feed

compartilhar